Arquivo de julho, 2009

Danilo Gentili – “Quem ele acha que é, jogador de futebol?”

Posted in Erro 404 on 30 julho, 2009 by Z Franco

PEDRA ENXUTA – Danilo Gentili (campeão de polêmicas do programa CQC) poderá responder na Justiça uma ação pública de iniciativa do Ministério Público de São Paulo por ter postado no mini-blog que mantém no site Twitter, na madrugada do sábado(25), a mensagem abaixo (piada do King Kong do Telecine).

Danilo Gentili também postou em seu blog, uma explicação sobre essa situação.

Confira abaixo, a polêmica causada.

Danilo Gentili

“Agora, no Telecine, o filme ‘King Kong’, um macaco que, depois de ir para a cidade e ficar famoso, pega uma loira. Quem ele acha que é ‘Jogador de futebol?'”

“Alguém pode me dar uma explicação razoável porque posso chamar gay de veado, gordo de baleia, branco de lagartixa, mas nunca um negro de macaco?” (justificativa 1)

“Reparem: na piada do ‘King Kong’ não disse a cor do jogador. Disse que loira saiu com o cara porque é famoso. A cabeça de vocês que tem preconceito.” (justificativa 2)

Hélio de la Peña

“Não tenho problemas com piadas de qualquer natureza, desde que elas sejam engraçadas. Não foi o caso. Quando a piada é boa, não cria constrangimento” (crítica da piada)

“No caso, ela me incomodou porque faz um paralelo do gorila com um jogador. Mas não qualquer jogador e sim um jogador preto. Afinal, a graça estaria aí” (justificativa da crítica)

“Acho exagero imolar o humorista em praça pública. Processo é bobagem. Danilo não apontou o dedo na cara de nenhum preto e disse ‘olha aqui, seu macaco’. Ele fez uma piada, quem não gostou expôs sua opinião. Eu não gostei. E só.” (justificativa da crítica)

Rafinha Bastos

“O Gentili fez piada de preto e o Hélio de la Peña não gostou. Devo parar de rir das piadas velhas de gaúcho que o ‘Casseta’ faz?” (em defesa do colega)

HOMENAGEM DO PEDRA ENXUTA PARA O CASO EM QUESTÃO

Nossa Homenagem - Danilo Gentili x Hélio de la Peña

O amor é ou não é lindo? Hahahahahaha

Brasil – A Fantástica Fábrica de Problemas Sociais

Posted in Erro 404, Política on 30 julho, 2009 by Z Franco

Agricultor diz que desmatar Amazônia era ‘regra’ nos anos 70

"Seu Rogaciano" sendo entrevistado pela BBC Brasil

O agricultor Graciliano Mota da Silva – mais conhecido em Rondon do Pará como “seu Rogaciano” – foi um dos pioneiros a chegar ao sudeste paraense, em 1971, no embalo dos programas de colonização da região promovidos pelo governo militar.

“Naquele tempo, a coisa era mesmo desmatar, a gente não tinha preocupação. Mas, hoje, já dá pra ver a falta que a mata faz”, diz Rogaciano. “Venta muito mais, o que atrapalha a plantação. Também cai mais raio na terra, e mata o gado.”

Nascido na Bahia há 85 anos, ele trabalhava em terra arrendada de índios no litoral sul de seu estado natal, antes de desbravar a Amazônia.

“Abri 20 tarefas de mata (um total de mais ou menos nove hectares, nessa antiga medida usada no Nordeste) para plantar cacau”, diz o agricultor. “Deu muito bem, mas tinha que dar uma parte da produção para os índios e não estava trabalhando minha própria terra.”

Na década de 50, o produtor baiano já ouvia falar da Amazônia como uma fronteira a ser descoberta. “Já naquela época, eu ouvia esse menino que foi presidente, Juscelino Kubitschek, dizendo que a gente tinha que ir para a Amazônia”, conta.

Rogaciano diz que achou a terra no Pará “muito rasa (plana), cheia de mata, boa para agricultura” e decidiu que ficaria na região de vez, acompanhado da mulher, dona Elza.

Negociou com os índios na Bahia o que deveria receber pelas benfeitorias trabalhadas na terra e, com o dinheiro, comprou em 1971 um lote de quase 2,5 mil hectares “que tinha um título com data de 1913”.

“Essa cidade de Rondon era uma vilazinha de meia dúzia de casinhas de madeira para comprar umas necessidades. Andava com os burricos cheios de carga 50 quilômetros pra ir até a vila e voltar”, conta.

“Senhor dinheiro”

Hoje, é possível chegar de carro à casa de Rogaciano por uma estrada de terra muito boa para os padrões dos caminhos amazônicos. A eletricidade ainda não chegou: os postes param cerca de 20 quilômetros antes da terra dele. “Parece que até outubro (a eletricidade) chega”, afirma o agricultor.

Ao longo dos anos, foi vendendo pedaços de terra, tirando madeira, fazendo carvão e desmatando para plantar para subsistência e criar vacas leiteiras como negócio. Hoje, sobram a Rogaciano cerca de 500 hectares, mais ou menos a metade transformada em pasto – e a outra metade de mata nativa.

O agricultor diz que não quer desmatar mais nada na propriedade dele. E afirma acreditar que seja possível a Amazônia se desenvolver sem a necessidade de derrubar mais florestas para abrir espaço para pecuária e agricultura.

“Mas, para isso, precisamos do senhor dinheiro. Para produzir sem desmatar, precisamos de financiamentos pra trabalhar a terra direito, para recuperar a terra que já estiver desgastada”, reclama.

Rogaciano também lamenta ter que pagar ao governo pela terra que ocupa há mais de 35 anos. “Eu já comprei e paguei por esse terra uma vez. Tenho o papel de quando eu comprei e não tinha como saber, naquele tempo, se era um papel bom ou não”, afirma.

Apesar disso, o agricultor diz que entende as razões do governo de cobrar pelo uso de uma terra, que originalmente, era pública. “Nisso, o governo tem razão. Pelo menos estão dizendo que vão dar um prazo de 20 anos para a gente pagar. Aí, vai dar tempo da minha família se organizar para isso”, diz.

Rogaciano conta ter cadastrado sua propriedade no programa Terra Legal do governo para tentar obter um título definitivo para a terra. “Vai ser muito bom finalmente ter certeza de que a terrinha é minha mesmo”, conclui.

Clique aqui para assistir o video no site da BBC Brasil.

Fonte: BBC Brasil

Nossa, imagine quantas pessoas não devem estar nessa mesma situação do “seu Rogaciano”, o homem comprou quase 2,5 hectares e agora só tem 500 hectares com +/- 250 de mata nativa… Hahahahaha (ou seja, o “seu Rogaciano”, em menos de 40 anos desmatou 90%!)Wow… parabéns Brasil!

LANCE! – 100sacional (Primeira Página)

Posted in Futebol on 30 julho, 2009 by Z Franco

Primeira Página do LANCE! do SP

Sistema antifurto obrigatório é adiado para fevereiro de 2010

Posted in Política, Seguros on 30 julho, 2009 by Z Franco

PEDRA ENXUTA – A instalação obrigatória, na fábrica, de dispositivo antifurto nos veículos novos nacionais e importados à venda no Brasil foi adiada.

A determinação entraria em vigor em 1º/08 e agora valerá a partir de fevereiro do ano que vem. O sistema será instalado gradualmente. O texto da resolução foi alterado em alguns trechos. O primeiro parágrafo do artigo 1º previa que o sistema deveria possibilitar bloqueio e rastreamento do veículo. Esse foi um dos tópicos anulados por liminar pela Justiça Federal em abril deste ano, o que determinou as alterações.

Pelo novo texto, o sistema poderá fazer apenas o bloqueio, local ou remoto. A habilitação da localização (que segundo o Ministério Público Federal fere a Constituição) passa a ser de responsabilidade do proprietário. As fabricantes GM, Ford, Renault, PSA e VW confirmaram que o rastreamento é possível, ainda que não habilitado pelo usuário.

Fonte: Sincor/SP

Hotéis mexicanos “indenizam” turistas por contágio de gripe

Posted in Política, Seguros on 29 julho, 2009 by Z Franco

PEDRA ENXUTA – Diante de uma queda de 80% na ocupação de hotéis e resorts por causa do pânico provocado pela pandemia de gripe suína iniciada no país, a Associação Mexicana de Hotéis lançou uma promoção.

Caso um turista comprove que contraiu o vírus H1N1 até 14 dias depois de sua saída do México, a associação vai indenizá-lo com uma semana de estada gratuita por ano durante três anos consecutivos.

A promoção vale até outubro deste ano e não há notícia de que algum turista já tenha recebido o “prêmio”. O turismo movimentou mais de 13 bilhões de dólares no ano passado no México e é um dos principais setores econômicos do país.

Fonte: Sincor/SP

LANCE! – Aqui é Palestra, meu filho! (Primeira Página)

Posted in Futebol on 29 julho, 2009 by Z Franco

Primeira Página do LANCE! do SP

Nomes indígenas – Confira o significado do nome de algumas cidades do estado de São Paulo

Posted in Erro 404, Política on 29 julho, 2009 by Z Franco

PEDRA ENXUTA – Confira o significado dos nomes de algumas cidades daqui da região. Também colocamos a distância entre as cidades e a capital São Paulo.

REGIÃO DE BAURU

Bariri (Água Agitada) – 324Km
Bocaina (Entrada do Mato / Depressão Numa Serra) – 296Km
Borborema (Lugar Deserto) – 392Km
Tupã (Trovão) – 516Km
Pederneiras (Pedra de Fogo) – 309Km
Ibitinga (Terra Branca) – 357Km
Echaporã (Bela Vista) – 457Km
Anhembi (Rio dos Inhambus, Pássaros comuns na região) – 211Km
Avanhandava (Corrida do Homem / Correnteza Forte) – 479Km
Bauru (Forte Declive / Rio das Lagoas / Cesto de Frutas) – 343Km
Borá (Som emitido pelo soprar entre mãos unidas) – 502Km
Boracéia (Tipo de Dança / Lugar de Muita Gente) – 319Km
Borebi (Couro de Tatus) – 319Km
Botucatu (Bons Ares) – 243Km
Canitar (Cocar) – 404Km
Chavantes (Nome de uma tribo – Xavantes) – 393Km
Guaiçara (Tipo de Madeira) – 453Km
Guaimbê (Cipó de Amarrar) – 447Km
Guarantã (Madeira Comprida / Dura) – 414Km
Iacanga (Olho / Cabeça D’água) – 366Km
Iacri (Nome da filha do cacique da aldeia daquela região) – 539Km
Ibirarema (Madeira Fedida / Pau D’alho) – 430Km
Ibitinga (Terra Branca) – 357Km
Igaraçu do Tietê (Canoa Grande do Rio Verdadeiro) – 275Km
Ipauçu (Lagoa Grande) – 382Km
Itaju (Pedra Amarela) – 337Km
Itápolis (Cidade de Pedra) – 368Km
Itapuí (Bica de Pedra) – 310Km
Itatinga (Pedra Branca) – 256Km
Jaú (O Escuro, O Negro / Nome de um Peixe de Rio) – 289Km
Macatuba (Abundância de Macás, Fruta Silvestre) – 293Km
Piraju (Peixe Amarelo) – 349Km
Pirajuí (Rio do Peixe Dourado) – 406Km
Piratininga (Peixe Seco) – 346Km
Pongaí (Salto Pequeno) – 414Km
Quatá (Andar / Porém, Presume-se que a palavra Quatá seja uma alteração fonética de “Caraguatá”, planta cujos espinhos e fibras eram muito utilizados pelos indígenas) – 524Km
Sarutaiá (Macaco de Cauda Peluda) – 360Km
Tabatinga (Casa Branca) – 346Km
Tarumã (Fruta Escura de Fazer Vinho)
Tejupá (Aglomerado de Ranchos) – 492Km
Timburi (Nariz, Bico, Focinho) – 377Km
Ubirajara (Senhor da Lança) – 403Km
Uru (Cesto) – 100Km

 

REGIÃO DE ITAPETININGA

Alambari (Peixe de Escama Escura) – 152Km
Angatuba (Casa dos Espíritos) – 224Km
Arandu (Cidade de Papagaios) – 309Km
Avaré (Homem Diferente) – 294Km
Boituva (Muitas Cobras) – 128Km
Buri (Espécie de Palmeira) – 249Km
Iaras (Senhor / Senhora do Vale) – 330Km
Itaberá (Pedra Brilhante) – 318Km
Itaí (Pedra do Rio) – 310Km
Itapetininga (Pedra Enxuta / Seca) – 170Km
Itapeva (Pedra Chata) – 287Km
Itaporanga (Pedra Bonita) – 360Km
Itararé (Pedra que o rio escavou) – 347Km
Jumirim (Salto Pequeno) – 148Km
Paranapanema (Rio Ruim) – 264Km
Porangaba (Bela Vista) – 184Km
Sarapuí (Espécie de Enguia / Rio de Enguias) – 147Km
Taquarivaí (Taquara Fina da Beira do Rio) – 263Km
Tatuí (Água / Rio do Tatu) – 148Km
Tietê (Rio Verdadeiro / Volumoso) – 140Km

 

REGIÃO DE SOROCABA

Itu (Cachoeira / Queda D’água) – 95Km
Araçariguama (Lugar onde se reúnem os pássaros para comer) – 58Km
Araçoiaba da Serra (Anteparo do tempo da serra) – 117Km
Cabreúva (Árvore da Coruja) – 73Km
Iperó (Madeira Dura) – 128Km
Itatiba (Muita Pedra) – 76Km
Itupeva (Cachoeira Rasa, Pequena) – 76Km
Jarinu (Palmeira Preta) – 60Km
Jundiaí (Rio dos Bagres) – 58Km
Sorocaba (Terra Rasgada) – 109Km
Tapiraí (Terra / Lugar / Rio das Antas) – 116Km
Votorantim (Espuma / Cascata Branca) – 106Km

 

REGIÃO DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

Araçatuba (Abundância de Araçás – Fruta Silvestre) – 547Km
Birigui (Mosca que sempre vem) – 533Km
Braúna (Madeira Preta) – 517Km
Buritama (Terra de Muitas Palmeiras) – 528Km
Cajobi (Monte Verde) – 421Km
Catanduva (Mato Cerrado / Espinhento) – 411Km
Catiguá (Baixos de Leito Fluvial / Planta Rasteira) – 426Km
Embaúba (Árvore com Câmaras Ou Vazios Internos) – 414Km
Guapiaçu (Águas Claras) – 462Km
Guaraçaí (Mãe do Dia – Referência ao Sol) – 708Km
Guaraci (Sol) – 468Km
Ibirá (Árvore, Madeira) – 439Km
Icém (Água Doce) – 502Km
Indiaporã (Índia Bonita) – 692Km
Irapuã (Muitas Abelhas / Abelha que faz casa de terra) – 438Km
Itajobi (Pedra Verde) – 414Km
Itapuã (Ponta de Pedra)
Jaci (Lua) – 485Km
Macaubal (Ajuntamento de Macás) – 529Km
Nhandeara (Nosso Senhor) – 545Km
Nipoã (Campo Redondo) – 502Km
Paranapuã (Rio Veloz que se alteia) – 553Km
Piacatu (Passagem Boa) – 542Km
Pindorama (Terra das Palmeiras) – 413Km
Tabapuã (Cidade Alta) – 431Km
Tanabi (Rio de Borboletas) – 515Km
Turiúba (Árvore de Turi) – 533Km
Ubarana (Peixe Pau) – 477Km
Votuporanga (Brisas Suaves) – 561Km

Fonte: Blog do Programa “De Ponta a Ponta” da TVTEM
Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias