VIDEO – Conheça a rara espécie de Salamandra Mexicana (Ambystoma mexicanum – Axolotl)

PEDRA ENXUTA – Já viram uma salamandra mexicana muito exótica? Então, o axolote ou axolotle é uma estranha espécie em extinção.

Seu nome é de origem asteca, significa “mostro aquático” (encarnação do deus Xolotl).

Agora um pouco de mitologia… Hahahaha

Xolotl é um deus asteca, irmão gêmeo de Quetzalcoatl, guia as almas durante sua jornada por Mictlan.

O nome de Quetzalcóatl é composto de duas palavras de origem náuatle: quetzal, que é uma ave de formosa plumagem que habita a selva centroamericana e cóatl, “serpente” e é usualmente traduzida como “Serpente Emplumada”, “Pássaro Serpente”, ou “Pássaro Serpente da Guerra”.

Quetzalcoatl representa as energias telúricas que ascendem, daí a sua representação como uma serpente emplumada. Neste sentido, representa a vida, a abundância da vegetação, o alimento fisico e espiritual para o povo que a cultua ou o indivíduo que tenta uma ascese espiritual.

Na Mitologia Asteca, Mictlan é o nível inferior da terra dos mortos, e encontra-se muito a norte. Os guerreiros que morriam no campo de batalha e as mulheres que morriam no parto não iam para o Mictlan depois da morte, estes iam para o Ilhuicatl Tonatiuh(Caminho do Sol); os “mortos por água” (afogados, tocados por um raio ou de hidropesia) iam para o Tlalocan e os mortos antes de nascer regressavam para o Chichihuacauhco (Lugar da árvore amamentadora).

Para chegar ao descanso eterno, tinha de fazer uma dura viagem desde a Terra a Mictlan, mais ajuda-os o guardião do além Xólotl (Cão gigante). O Mictlan era formado por 9 lugares, 8 tinham desafios para os mortos e no 9 -o mais profundo- podiam atingir o descanso eterno. As nove dimensões do Mictlan eram:

1.- Apanohuaia ou Itzcuintlan: Aqui havia um rio caudaloso, a única maneira de cruzá-lo era com ajuda de Xólotl. Se em vida não se tratara bem a algum cão, o morto ficava nesta dimensão pela eternidade.

2.- Tepectli Monamictlan: Lugar onde os cerros chocam entre eles.

3.- Iztepetl: Cerro de navalhas, este lugar encontrava-se eriçado de pedernais.

4.- Izteecayan: Lugar no que sopra o vento de navalhas, este era um sítio com uma serra composta de oito colinas e nevava copiosamente.

5.- Paniecatacoyan: Lugar onde os corpos aboiam como bandeiras; este lugar estava ao pé da última colina do Izteecayan e aí começava uma zona desértica muito fria, composta de oito páramos que havia que percorrer.

6.- Timiminaloayan: O lugar onde flecham, aqui dizia-se era uma vereda em cujos lados mãos invisíveis enviavam pontiagudas setas até crivar os passantes.

7.- Teocoyocualloa: Lugar onde as feras se alimentam dos corações. Nesta passagem, uma fera selvagem abria o peito do defunto para lhe comer o coração, já que sem este órgão, a pessoa caía num charco onde era ferozmente perseguida por um caimão.

8.- Izmictlan Apochcalolca: O caminho de nevoa que enceguece, neste lugar; tinham de vadear nove rios antes de chegar ao sítio onde os aguardava o seu descanso mortal.

9.- Chicunamictlan: Aqui as almas encontravam o descanso ansiado. Era o mais profundo dos lugares dos senhores da morte. Após passar todos estes obstáculos, chega-se à libertação do seu tonalli (alma). A viagem póstuma dura quatro anos.

Fonte: Wikipédia

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: